Mulher que pesava 500 quilos sofre tarnsformação inacreditável, veja o que aconteceu!!!

O corpo humano é uma coisa maravilhosa, mas para algumas pessoas, pode ser motivo de exclusão e sofrimento. Para Mayra Rosales, do Texas, Estados Unidos, seu corpo sempre foi o motivo do seu maior problema: obesidade mórbida. Mary, com 30 anos idade, chegou a pesar quase meia tonelada, mais precisamente, 470 quilos.

Não se sabe como ela conseguiu atingir essa incrível marca, mas isso a deixou com vários problemas de saúde, e a impossibilitou até mesmo de andar, fazendo com que vivesse basicamente na cama.

2

Ela sofre de Linfedema nas pernas, que é um inchaço doloroso devido ao acúmulo de líquido. Seu marido, Bernie, a ajudava em todas as tarefas diárias. Após aparecer em um programa de televisão, ela foi incentivada e orientada a procurar ajuda para reverter esse quadro. Ela se submeteu a uma dieta severa e várias cirurgias para perder peso. A mulher foi levada ao hospital para realizar uma cirurgia, mas não passava pela porta. Então, tiveram que quebrar a parede para entrar na sala de cirurgia.

3

Mayra se submeteu a várias cirurgias importantes. Elas foram essenciais porque o corpo dela sofria com anos de obesidade mórbida. Nessas cirurgias, os médicos removeram o líquido associado ao Linfedema, fazendo-a perder cerca de 100 kg.

Após as cirurgias, Mayra tinha que perder o máximo de peso possível, através de dieta rigorosa, exercício e disciplina. Seu sobrinho e sobrinha a motivaram muito para que ela conseguisse vencer essa etapa: “Essas crianças são a razão pela qual eu ainda estou viva. Eles são a razão de eu querer continuar a perder peso.“, disse Mayra.

Após muito esforço e dedicação, Mayra, hoje com 34 anos, perdeu quase 400 quilos, pesando surpreendentes 90 kg. A transformação da Mayra é incomparável. Ela teve muita motivação, disciplina e acima de tudo, apoio e amor incondicionais de sua família para sobreviver.

A mudança desta mulher deve ser uma fonte de inspiração e esperança para todas as pessoas que sofrem de obesidade ou que lutam para perder peso.

Lembramos que o comparativo da pesquisa não exprime algum tipo de ideologia ou apologia a tal tema de responsabilidade do site, estamos apenas reproduzindo um conhecimento científico.

Vimos em: jornalciencia.com

Deixar uma resposta